terça-feira, setembro 23, 2008

Acontece na Finlândia

Tanto que se fala do bom sistema de educação finlandês e tal...
E o bem-estar (literalmente!), é verdadeiro?

O que acham que nos contam as notícias de hoje? E talvez saibam que faz pouco tempo que aconteceu a mesma coisa numa outra escola finlandesa...

Leia por exemplo no Jornal de Notícias
ou no Estadão para saber mais.

6 comentários:

Ana disse...

Teea, realmente é de se entristecer uma situação como essa! Imagino que a Finlândia inteira esteja de luto. Provavelmente nunca saberemos ao certo o que motivou esse crime horrível.

Como todo sistema, o bem-estar social tem suas vantagens e desvantagens. A grande ponto negativo que eu percebo num povo que tem todo (e mais um pouco!) apoio do governo em tudo na vida, é a falta de ambição. Para que estudar bastante se com qualquer profissão consiguirei ter uma vida digna? Para que procurar emprego com afinco se o governo me dará um sustento mínimo? jne. Não quero generalizar, mas essa é a percepção que tive durante o tempo que morei aí (lembre-se que convivi com pessoas mais "simples", tive muitos amigos que eram operadores de fábrica, e poucos com maior formação escolar). Numa visão mais geral, é difícil dizer que os pontos negativos superam os positivos. Eu acredito que não, creio que se viva no geral muito melhor onde a desigualdade social é bem reduzida (e isso vem graças ao incentivo do governo e a mentalidade da sociedade finlandesa em geral).

Talvez uma política muito rígida de controle de armas ajudaria, não sei. O que se precisa mesmo é ao menos tentar entender as origens desse problema a fundo: duas vezes em menos de um ano já é demais.

Um beijo grande

Rhaoni disse...

Eu não sei o que passa na cabeCa desses doentes. Arranjar um emprego e ocupar a mente de bosta deles iria ajudar. Eu trabalho e estudo e não tenho tempo pra pensar em matar ninguém por aqui, por mais que em alguns momentos sejam difíceis, como a escuridão, o tempo "maravilhoso" etc.

Dá uma vassora na mão desse condenado e vai ver se ele vai pensar em matar alguém.

Fico puto com isso!

bjao Teea

Caroline Rodarte disse...

Acho que a cultura de não incomodar e de não me incomode dos finlandeses pode ser um ponto para esse tipo de coisas. Onde estava a família desse cara? Será que ele teve uma educação familiar legal?
Eu vejo que tudo que ele deixou na internet foi uma forma de dizer para todo mundo que ele não aguentava mais viver e que odiava todos ao seu redor. Para não escrever um outro post aqui no seu blog, resolvi escrever um post no meu, veja lá. :-)
Beijinhos e até mais!

Teea disse...

Valeu pelos comentários!
Quando fiz este post, foi rapidinho no dia do acontecimento, mas mesmo assim hoje não tenho muito mais para falar nem quero copiar tudo que já foi escrito por outros. Depois li vários blogues comentando o mesmo e enfim não posso dizer que a solução seja tão simples.
Eu tenho todos os "sintomas" que a Carol mencionou (além disso, é e sempre era normal que os finlandeses com uns 22 anos (o caso dele) moram sozinhos), mas enfim acho que sou mais como o Rhaoni e não tenho tempo (nem vontade!) para me matar, ainda menos para pensar o jeito de fazer o mesmo pros outros...
Concordo que tem muito para fazer (só não sei o que), mas quanto a cultura: ela não se muda num dia só (nem deve) em nenhum país do mundo. Um (povo) nórdico não se vira um latino nem vice versa. Se nós somos calados, fechados, "isolados" e tudo de chato (sim, admito que somos, não estou a defender nada), não é novidade nenhuma, e esse fato ainda não faz ninguém matar.
Bem, falei mais do que devia...
Beijos a todos!

Pata disse...

É, Teea, entendo perfeitamente o que vc comentou acima, acabei de falar isso no blog da Carol: traços culturais não se mudam facilmente. E agora que vc falou tb me pergunto "será que devem ser mudados?". Sempre achei que sim, mas ultimamente tenho percebido que é melhor criar mecanismos de controle do que nadar contra a corrente.
Bom, sei lá...
De qq forma, beijos e boa semana!

Mayara disse...

Oi Teea,desculpa entrar no seu blogger sem fazer parte do seu grupo de amigos. Entrei porque percebi o imenso carinho que tu tens pela terra em que moro,Brasil,e dizer que apesar dos problemas socias, o Brasil continua lindo e esperando pessoas como você que gostam de sol,principalmente na regiaõ nordeste onde temos um grande litoral de aguas claras e mornas.Espero poder teclar contigo.Um grande abraço meu,quem sabe uma futura amiga.