terça-feira, abril 21, 2009

Teea, ela é baiana? Ou alfacinha? ;)

A maioria dos meus leitores já sabe a minha história com a lingua portuguesa, que eu amo tanto. É uma paixão e dedicação especial, sem motivo nenhum, ou sem um motivo que eu pudesse explicar direito.

Quando me perguntam sobre isso (como é possível eu falar português), fico até nervosa, simplesmente porque sei que tudo isso parece absurdo... Nessas situações fico falando a versão curtinha; "é porque fiz erasmus no Porto há 12 anos".

Então essa é a simples verdade, morei sim em Portugal, aí no norte onde não entendo nada que eles falam ;) Não quero mais me lembrar como foi esse ano, pelo menos não consegui estudar nada (ou estudar ainda consegui, mas não passei em provas). Com os brasileiros (ahh, saudades do Mauricio, André, Alexandre etc!!) que moravam lá (ainda não teve tantos brazucas em Portugal como hoje em dia) deu super bem e eles não entendiam como eu tinha essas dificuldades, mas foi assim... A minha adaptação não foi das melhores, ou só me lembro das coisas negativas, pode ser... Não sei se agora já seria diferente?

Se um dia estudei português? Sim, já tinha estudado antes de saber que ia morar no Porto. Foi a minha querida professora de espanhol na faculdade de engenharia que me deu essa dica de começar a estudar português, começando do nível 2, rs. E um ano depois de ter estudado o básico, ela me falou que não havia nenhum estudante que quisesse ir ao Porto (imagino...) e coitadinha de eu aceitei a oportunidade e fui lá. Mas juro que sem ela nunca teria escolhido o Porto, mais tinha vontade de ir morar na Espanha ou na América Latina. Não quer dizer que me arrependeria, agora mesmo estou muito feliz por ter ido!!

Então passou o ano em Portugal. Os últimos meses (verão de 1997) morei em Algarve, onde por acaso nunca mais voltei, mas este ano procuro passar uns dias em Portimão novamente.
Voltei pra Finlândia, continuei a estudar com mais pressa. Essa vida de estudante me pegou logo e praticamente não senti saudades de Portugal. "Nunca mais" falei português... acabei perdendo os contatos aos poucos etc. Também passei anos sem viajar e já fiquei convencida que "tá muito bom aqui na Finlândia" (hahaha... quem me dera pensar assim agora!). Claro que a vida de estudante também não deu muitas oportunidades de viajar, não tinha dinheiro e/ou férias. Depois de terminar os estudos já chegaram outros pretextos, mas essa já é outra história... Enfim, em 2003 (?) no final de ano resolvi voltar a Portugal, a Lisboa. Antes dessa viagem já passei algum tempo livre "estudando" português, quer dizer: fiquei com uma louca vontade de aprender muito mais do que já sabia. Entendi que não me tinha esquecido de tudo durante esses anos e isso me fez ainda mais ansiosa...

Sempre adorei Lisboa, mas acho que só quando voltei depois de tantos anos, me apaixonei. E como já sabem, a partir daquele ano sempre passei férias lá.

Bom, é óbvio que agora vem a pergunta "E o Brasil?" A minha primeira viagem (de 10 dias só) ao Brasil foi em 2005, e o mais importante: a minha primeira viagem à Bahia foi em 2006... Outra grande paixão na minha vida.

Então é verdade: nunca morei no Brasil. Os meus pais são tão finlandeses como eu, e ainda mais. Seria outra história contar sobre eles, sobre a educação extremamente finlandesa, que com certeza dá "medo" a todos os "latinos" :) Nestes dias tenho pensado muito nisso e posso dizer que é uma coisa complicada, não sou muito (=nem um pouco) ligada à familia e aí tem coisas que são difíceis para mim.

Então os meus amigos twitteiros, ou outros amigos que ainda não sabiam dessa parte da minha vida - consegui dar uma ideia? Espero que sim!

Beijos

11 comentários:

Fernando Phillipi (fRy) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernando Phillipi disse...

Agora sim ficou explicado. Pelo jeito as aulas de português foram boas hein!? Fiquei curioso pra te ouvir falando, não consegui imaginar o sutaque de um finlandês falando em português.

Como eu sou curioso, fico no aguardo desse post sobre a educação finlandesa, eu nunca li/vi nada a respeito.

Beijos

Teea disse...

Valeu, Fernando :)

Quanto à educação (ou talvez cultura em geral): depois vou procurar umas postagens das minhas amigas brasileiras falando sobre o assunto, sei que elas já escreveram da mesma coisa e sabem comentar bem melhor, do ponto de vista latino ;)

Bjo,
Teea

Maariah disse...

Gostei de ler Teea. Eu não sabia e já me tinha questionado sobre o facto de falares / escreveres em português (que acredito que não seja fácil). Achava que um dos teus pais era brasileiro. Assim devo dizer que estás de parabéns, escreves muito bem.

Também eu estou curiosa com a educação, sabes, é que o interesse que demonstras por Portugal e Brasil acho-o parecido com o que eu tenho pela Finlândia.

Tatá disse...

Que legal, Teea.
Mas queria perguntar outra coisa, extactamente porque vc é "tão viajada". Tem dicas sobre Madrid? É porque vou passar o fim-de-semana lá.
Beijos,
Tatá

Blog da Bianca disse...

Finlândesa bahiana és tu :)

Ana disse...

Legal, Teea! Mesmo te conhecendo, não sabia tão detalhadamente como você se envolveu com o Brasil!

E como sempre falava, parabéns!~Seus português falado e escrito é ótimo (muito melhor até do que muito brasileiro por aí!). Fica aí pro comentário do Fernando que a Teea quase não tem sotaque! ;)
Beijinhos

Mônica Paz disse...

Curti conhecer a história.
beijos

Márcia Elisa de Castella disse...

sim....ficou claro. Mas ainda duvido disso. ès muito mais brasileira que eu :))
Um grande beijo querida... e familia é a que fazemos na vida é a que nos acompanha no nosso dia a dia...nem sempre é a que nascemos :)) Espero que entendas isso.

Teea disse...

Márcia, valeu pelo comentário... essa questão de família realmente não me tem sido fácil. Mas tb já não me preocupo muito com isso.

Beijos

Dr. Alex Mendes disse...

Agora entendi! Hehehhehehehe