quarta-feira, fevereiro 09, 2011

É só aceitar?

Deve parecer óbvio demais, mas mais uma vez nesta vida entendi que nunca se pode ter tudo o que se quer - e não estou falando (apenas) das coisas materiais...
É só aceitar esse fato, né? Ou (re)querer um pouco/muito menos?

8 comentários:

Sandra Hellen disse...

A aceitação é uma das estratégias, mas não a única. Mas pensando com os pés no chão realmente não se pode ter tudo que se quer, seja esse "tudo" material ou não!!!

Teea disse...

Sei, Sandra... e pode imaginar que pensei mil e uma coisas diferentes antes de escrever este post no caminho ao trabalho. Então o que escrevi quer dizer tudo e nada ao mesmo tempo :)

E pensando bem, se eu teria algo que não tenho agora, provavelmente ainda me faltaria alguma coisa ou não teria algo de bom que tenho agora.

Por outro lado, conheço pessoas que sempre procuram coisas que não seriam boas para elas/que realmente não queriam ter (mas sonham com essas coisas...).

Enfim, este tema tem tantos aspectos e seria uma conversa sem fim. E mais uma vez, há coisas que são só para o meu diário...

Beijos

Léo C. disse...

A questão não é se ter tudo o que quer, mas estar satisfeito com o que tem.

Se não estamos satisfeitos, absolutamente nada nos impede de querer e principalmente de buscar aquilo que nos satisfaça.

A pergunta que se pode fazer é: o que se tem basta pra ser feliz? Se sim, beleza. Se não, é eliminar o que empaca sua felicidade e seguir a busca dos sonhos.

Pra mim, a busca por sonhos, objetivos e ideais é o que dá graça na vida. Por que abrir mão disso?

Teea disse...

Excelente, Léo :)

O post foi meio provocativo mesmo, mas de qualquer jeito um pensamento mais do que real, de vários pontos de vista.

Essa pergunta simples (se "o que se tem basta pra ser feliz") também nem sempre é tão simples assim. Mas bem sei o que quer dizer e tenho uma luta interna forte para entender isso... Um dia chego lá, espero!

Beijos

Teea disse...

E este post não era pra ser negativo, apenas pensativo :)

Lu disse...

Eu concordo plenamente com o comentário do Léo.
E com certeza Teea nem sempre o que se tem se basta pra ser feliz, a felicidade tem que ser uma busca incesante até que a possua da maneira que você merece. As vezes leva tempo, mas eu tenho certeza que você um dia vai se dar conta disso e fazer o que é preciso pra ser feliz.

Irene Nousiainen disse...

Gostei da provocação de pensamentos Teea!

Na minha visão, e impossível se ter tudo que se quer e mais ainda quando se quer estender "para sempre".

Nossos desejos de coisas materiais vão sendo satisfeitos aqui e ali, muitas vezes insatisfeitos e sempre, com o tempo, mesmo que satisfeitos perdem o valor inicial - referindo-me a coisas materiais.

Quanto aos nossos sonhos e metas são catalisadores de movimento, de motivação e de realização em nossa vida, mas mesmo eles, depois de realizados não nos dão a sensação plena de satisfação na vida.

Nas relações com pessoas aí a história está bem mais distante de nosso querer, porque simplesmente envolve UM OUTRO que tem uma montanha de divergências em relação ao que pensamos, acreditamos, queremos, desejamos, sonhamos, etc... Nesse campo vale a sabedoria da boa convivência sem exigências para nossa própria satisfação e sim para satisfação da relação.

Na nossa relação com o mundo em geral aí é que complica mesmo...quanta diversidade! Esperar que o mundo nos satisfaça...não existe!

Nossa relação com a espiritualidade/religiosidade a satisfação vai de acordo com a crença de cada um baseada na visão de mundo e de construção da vida de cada um. Mais complicado ainda e extremamente subjetivo! Mas ainda assim, pode ser um caminho para o sentimento de satisfação. Não estou dizendo, de jeito nenhum, que religião salva ninguém. É apenas uma questão de visão de mundo.

E afinal, onde podemos encontrar satisfação plena na vida? Eu diria que em lugar nenhum, coisa nenhuma, pessoa nenhuma, religião nenhuma, satisfação nenhuma, nada externo. No meu entender, a única forma de irmos construindo um caminho próprio de satisfação na vida e, na verdade de felicidade, é em nós mesmos e somente conosco mesmo. É a partir de nossas próprias crenças e visões de mundo que se construímos a vida exterior com satisfação ou não. Depende da forma como cada um vê a si mesmo nas relações consigo mesmo, com o outro e com tudo que existe. Complicado não? Sim, bastante. Por isso, ninguém nunca até hoje encontrou a receita para a satisfação plena, que dirá para a felicidade.

Mas, exemplos nos mostram que a potencialização de nossas melhores qualidades enquanto seres humanos é o caminho que nos descortina a diminuição da busca da satisfação (por diminuição da satisfação de desejos de nosso ego) e o trilhar do caminho de construção da felicidade que é um movimento primordialmente interno, de dentro de si mesmo para mundo. E em geral quando diminuímos nosso ego. Parece contraditório, mas o crescimento exagerado do ego é que nos causa problemas.

É nisso que acredito e que venho procurando exercitar.

Foi aí meu pensamento! Desculpe a extensão do comentário, mas o assunto realmente é bem mais complexo do que imaginamos.

Beijos muitos para vc.

Teea disse...

Irene, seu comentário foi tão completo que até esqueci de comentar qualquer coisa... ;) Quer dizer, não tenho muito para acrescentar.

Beijos e valeu pela boa "conversa"