sexta-feira, fevereiro 29, 2008

A visão dos portugueses dos brasileiros

Encontrei esta notícia numa comunidade de Orkut, pois já não é nenhuma novidade, foi publicada em novembro 2007. Aiai, tem tanto para falar do tema... queria convencer que esse preconceito não tem nada a ver com a realidade, mas ao mesmo tempo infelizmente tem gente que causa esses estereótipos.
Também queria dizer que a visão dos brasileiros dos portugueses não sempre me faz feliz... Ás vezes tá difícil ficar aí no meio e escolher "o seu lado". É só tentar entender os dois, né?
Um beijo grande aos meus amigos brasileiros morando em Portugal (e no mundo inteiro) e igualmente aos amigos tugas espalhados no mundo!

12 comentários:

MIGUEL GOUVEIA disse...

Então já percebeste porque é que eu fico surpreendido qd dizes que estas no fim do mundo...hehheee

Teea disse...

Na verdade Finlândia é um tipo de fim do mundo em relação à imigração também. É difícil entrar neste país (para viver, trabalhar) e por isso os "problemas" aqui não são iguais com os de Portugal. O acesso dos estrangeiros (sem um bom motivo - casamento, trabalho etc, claro) é muito limitado. Refugiados é que aqui tem (e esses com um "bom motivo"). E pode imaginar que já causa racismo... então se tivéssemos aqui tantos brasileiros ilegais como tem em Portugal... bom, nem quero pensar o que diriam os finlandeses. Estamos tão habiatuados com a nossa segurança etc que tudo que vem de fora é considerado como um perigo... mais ou menos assim, generalizando. Eu pessoalmente acho que já é um sinal de morar no fim do mundo. Expliquei bem? ;)

portugalilainen disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
portugalilainen disse...

Sim, o fim do mundo é aqui e Tornio é a porta de entrada. O fim do mundo estende-se depois para norte...
(poeta francês do início do séc. passado)

Os esteriótipos são a resposta à nossa necessidade de simplificar e generalizar. Existem esteriótipos para brasileiros, portugueses, finlândeses... Qual é a imagem (esteriotipada) que os finlândeses têm dos portugueses?

No estudo, fiquem sem saber se a imagem retratada dos brasileiros é resultado da imprensa portuguesa, dos brasileiros emigrados em Portugal, ou de ambos.

Eu, português e com contacto assíduo com Portugal, acredito que a imagem brasileira dos portugueses é diferente de região para região. No entanto não me surpreendem os resultados do estudo, ou seja, conheço a imagem esteriotipada que os brasileiros têm em Portugal.

Um abraço desde a Lapónia.

Teea disse...

Valeu pela visita e pelo comentário, Zé!
Também não me surpreendeu, só achei que foram poucas as pesquisas sobre o tema e por isso coloquei aqui. (Como assim gosto das pesquisas??)
Quanto ao estereótipo que os finlandeses temos dos portugueses, nem sei! Acho que não conhecemos bem o povo português! Tem gente que pensa que são como os espanhois ou mediterrâneos, isso já mostra como o conhecimento é fraco, pois claro que tem algo a ver com a "cultura latina" como um conceito mais amplo.
Ou será que a minha visão é errada, rs.

Beijos, boa noite já!

MIGUEL GOUVEIA disse...

Sim teea, deu para entender e eu não tinha a noção disso, até por como somos mais libertinos, menos organizados, podemos constituir ameça ao seu modo de vida. Por cá passa a noção que há falta de gente que queira trabalhar por aí.
A Noruega é diferente eu sei, mesmo assim sabes o que é que eles fizeram em portugal esta semana, vieram ca seleccionar 10000!!! recem licenciados, sobretudo engenheiros mas nas mais diveersas áreas, e precisam de mais 16000!!!!!!! imagina só....isto nunca aconteceu na História e não vai acontecer tão brevemente.....pois os portugueses sempre foram requisitados foi pa chapar cimento na parede.
Como é a comunidade portuguesa ai na Finlandia?

MIGUEL GOUVEIA disse...

Quanto à estereotipização vamos simplificar minha gentche!
1. O Zé diz bem quando observa que "os esteriótipos são a resposta à nossa necessidade de simplificar e generalizar", é um facto.
2. Segundo facto: boa gente e má gente há em todo o lado do mundo. A questão é: o que é que predomina.
3. Também é facto: Abre-se qualquer jornal português e é só anúncios de prostitutas e travestis brasileiros, a pontapés! Dêm as voltas que derem do pejorativo epíteto não se livram vocês. O povo portugês nem estava bem preparado para isso e o que acho mais estranho é que se os travestis lá tem anúncio é porque o negócio factura...uma machadada assaz forte na virilidade do macho latino.
4. Já tive namoradas brasileiras, esperiência que espero voltar a repetir, e trabalhei com pessoas da primeira vaga de imigrantes, gente muito educada, consciente, instruida e já liderei uma equipa de trabalho da vaga mais recente. Prefiro os primeiros.
5. Conheço um brasileiro, e da metropole, que lhe podes confiar uma pasta cheinha de dinheiro que ele te a devolve sem tirar uma nota sequer. Parece irreal mas é um facto, acho que não existe mais ninguém assim na face da terra.
6. Último ponto que acho que vale a pena considerar: O brasileiro forma geral pensa mais amplo, e mais recectivo e informado das novas tendências do mundo, ponto. Já por si é um epíteto, eu sei, e também é um facto.
Parece-me evidente que muitos quando embarcaram tinham a noção que vinham para o país dos "manuéis" e entretando as coisas mudaram. Chegaram e depararam-se com um país relativamente organizado, onde é preciso demonstrar competências e valências para ocupar os cargos. Muitos não as tinham e em Portugal como nós sabemos as coisas tambem não estão fáceis, daí a discriminação foi um passo...
Esse país de "manuéis" ainda existe....fica na faixa norte interior do país, que é onde eu estou agora a dar aulas e aqui sim é o fim do mundo. Pode rebentar uma guerra civil aqui a meia duzia de Km em Espanha ou a III Guerra Mundial que as talevisões continuariam ligadas a passar novelas mexicanas como se nada se passa-se...à noite iria um coelho da capoeira pá panela, o fumo a sair da chaminé, um persuntinho...um queijinho...e é assim a vida desta gente....
Aqui nesta cidade não há brasileiros hehheeheh e chamem-lhes burros!??! burro sou eu em ter vindo de França para aqui!

Teea disse...

Miguel: a comunidade portuguesa na Finlândia não é muito ativa, mas existe. Já visitou no blogue Lusofin? Por exemplo parece que hoje vão assistir bola juntos, ou pelo menos António está indo (vamos ver se ele aparece aqui, hehehe)... :) São uns 200-300 portugueses (se não me engano) que moram neste país, ainda menos do que brasileiros (~400 pessoas).

Tatá disse...

Olá Teea,

Eu sou brasileira (nasci no Rio) e sou portuguesa também (de família). Moro em Lisboa há 20 anos, mas nunca perdi o sotaque brasileiro.

Devo dizer que há um preconceito imenso contra os brasileiros. Os portugueses acham que são todos uns desgraçadinhos que vieram pra cá juntar dinheiro. (E quem faz isso não está a fazer nada de errado(!)). Ou acham que o Brasil resume-se àquelas praias no nordeste que só tem gente mais pobre e eles (os portugueses) sentem-se os sultões da Arábia.

Eu gosto muito de certos portugueses (o meu marido é português). E noto que este preconceito parte, principalmente, das camadas mais baixas e sem instrução da sociedade, em Portugal. (exemplo curioso: há pouco tempo disseram que, se calhar, seria melhor eu fazer um curso de português para estrangeiros).

Não vou voltar para o Brasil. Tenho muito medo pois fui sequestrada. Mas não gosto de viver cá e de, de vez em quando, ao abrir a boca e fazer um comentário, ouvir: "Volta prá tua terra!!!"

Beijinhos,
Tatá

Caroline Rodarte disse...

Teea,
Não temos como fugir desse lance de estereótipo. Isso sempre existirá, às vezes passa por um segundo pela sua cabeça ou aparece quando você conversa com alguém sobre outra pessoa ou sobre algum país e sua cultura.
Não sei porque mas a gente tem uma necessidade de buscar algo concreto, expressar alguma opinião sobre alguma coisa e às vezes temos opiniões embasadas em bons argumentos mas muitas outras vezes, opiniões superficiais. Por isso, precisamos ter muito cuidado antes de estereotipar outra pessoa ou outro país, com certeza essa pessoa ou esse país tem/teve uma história e um meio que a/o influenciou/influencia a ser como ela/ele é hoje.
Beijos!

Teea disse...

Verdade, Carol. Nem foi a minha intenção negar a existência dos estereótipos. E claro que eu mesma também (infelizmente) os uso...
Bom, fazer um post sobre o tema já é um risco, mas tentei tratá-lo com alguma neutralidade da minha parte ;)

MIGUEL GOUVEIA disse...

Sim, conheci o lusofin através de ti. Tenho de lhes fazer uma abordagem mais formal no sentido de saber reais possibilidades de trablhar na Finlandia.
Como é que tu foste aí parar e o que fazes aí?

Rematando a conversa dos estereótipos, eu gosto de pessoas, pessoas boas, com caractér e espírito nobre, de pessoas que se proponham a aprender e a evoluir como Seres Humanos.
Como tal gosto de brasileiros, portugueses finlandeses espanhois nigerianos argentinos chineses ou escoceses........
E gosto mais ainda de brasileiras...eh eh eh eh